R$ 32,00

 

Título: A tradução na formação da tradição japonesa:
um panorama sobre tradução até o período Meiji
Autora: Nathália da Silveira Martins

ISBN : 978-85-94187-95-6
Formato: 14 x 21 cm.
Páginas: 74
Gênero: Ensaio
Publicação: Class, 2020

A Tradução na Formação da Tradição Japonesa: um panorama sobre tradução até o período Meiji, de Nathália Martins, é uma obra única na história dos estudos japoneses no Brasil, abordando a escrita, a língua e a literatura do Japão a partir de uma perspectiva tradutória. O texto transcende mesmo a área em que se inscreve, promovendo uma reflexão mais ampla sobre a cultura associada à tradução em um contexto mundial.

A cultura japonesa é, paradoxalmente, muito visível e, ao mesmo tempo, muito pouco conhecida. Desde o século XIX, a arte e a literatura do Japão se tornaram um importante elemento na renovação das formas e gêneros literários das mais diversas partes do mundo. No Brasil — país do mundo com maior número de descendentes de imigrantes japoneses —, a poética tradicional japonesa encontra ecos na obra e na teoria de autores dos mais diversos movimentos literários.

No entanto, o ensino de literatura, assim como a reflexão sobre o cânone de obras fundamentais da literatura dita “universal”, em universidades brasileiras, continua a proceder como se o confortável rótulo de “ocidental” servisse tão bem ao caso brasileiro que dispensasse o exame de obras literárias do Japão. Comparada a outras literaturas nacionais de língua estrangeira, a japonesa é frequentemente ignorada na construção de cânones e de corpora de estudo.

O presente livro é uma importante contribuição para o debate sobre as relações entre cânone, tradução e o que, por falta de nome melhor, nós chamamos de “ordem mundial”. Sua leitura nos permite compreender que, longe de ser uma exceção ou um exemplo exótico na história da tradução, o caso japonês reflete e ilumina tendências internacionais dos mais diferentes períodos dessa historiografia.

A partir da pesquisa aqui realizada, é possível compreender que, mais do que a literatura europeia, a japonesa é semelhante à da América Latina justamente pela percepção tradicional de que se trata de uma literatura periférica. A reflexão de Nathália Martins passa por questões tanto japonesas como brasileiras relacionadas à leitura de textos em tradução e à concepção de um contexto internacional no qual circula e se refrata a literatura do mundo.


Andrei Cunha
Doutor em Literatura Comparada
Professor de Literatura Japonesa
Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Sobre a autora:
Nathália da Silveira Martins nasceu em Porto Alegre (RS), em 1996. Desde cedo, foi uma criança apaixonada pela leitura, descobrindo novos mundos através das palavras. Interessada pelo oriente, ingressou no curso de Letras da UFRGS em 2014, onde se formou como tradutora de língua japonesa no final de 2018. Na graduação, descobriu os estudos de tradução, e, após constatar a falta de material sobre o seu idioma de estudo na academia brasileira, começou a estudar sobre, junto do grupo de pesquisa Literatura Traduzida e História da Literatura do qual faz parte junto da sua orientadora, Karina Lucena. Esse livro é o resultado dos seus primeiros aprendizados e descobertas como pesquisadora, e também a sua primeira obra, elaborada a partir do seu trabalho de conclusão de curso.