R$ 35,00

 

Título: CAUSOS DO BRASIL PROFUNDO
Autora: Zara Gerhardt

ISBN : 978-85-94187-83-3
Formato: 14 x 21 cm.
Páginas: 130
Gênero: Crônicas
Publicação: Class, 2019

LENTE PROFISSIONAL, VISÃO PESSOAL
Luís Augusto Fischer


Assim que conheci a Zara Gerhardt encontrei um ponto, uma ponte entre nós (outras viriam depois): porto-alegrense, geóloga formada pela UFRGS, a Zara exerceu pela vida uma profissão para a qual eu também me dirigi, num ponto já remoto do passado. Eu não passei de cinco semestres de estudos, na mesma faculdade, na metade dos anos 1970, tendo desistido para me encontrar como estudante de Letras e depois professor de Literatura.
Aqueles poucos semestres foram muito marcantes na minha vida, como seriam na de qualquer um, creio. Estuda-se muita química, muita física, muita matemática, muita biologia (para os fósseis), e isso é apenas a preliminar para o impressionante mundo das rochas, dos fenômenos tectônicos e vulcânicos, para as ocorrências variadas e deslumbrantes de minerais. Eu não conheci toda essa beleza, mas estive na antessala dela, como se tivesse sido conduzido até a entrada do templo e, com a porta aberta, pudesse ter vislumbrado a magnitude do universo que ali começava.
A Zara não: ela entrou nesse templo e lá permaneceu pela vida afora. E agora que saiu do batente diário volta aqui para nos contar uma parte disso. Não a parte científica, mas a parte experiencial: aqui fala uma profissional da Geologia, que é mulher e desbravou, também por isso, muitas fronteiras. Uma mulher que andou pelas entranhas do extenso e matizado território que faz o Brasil ser o que é, um gigante meio dandão que mal sabe o tanto que tem e pode, e enquanto isso tudo ainda teve filho, voltou a estudar, doutorou-se, ensinou. Uma brasileira que cumpriu ciclos bravamente.
E agora ela apresenta uma fatia dessa longa experiência neste livro. Tem, não digo de tudo, mas de muito: agruras miúdas da vida de mulher profissional de um ramo expressivamente masculino e muito machista de trabalho; pequenas descobertas geológicas de uma vasta parte do Brasil remoto, longe das capitais e da fama; relações sociais em cidades minúsculas, onde vivem brasileiros como nós, segundo regras particulares muito distantes das nossas; experiências humanas radicais, encobertas para o observador de passagem, mas reveladas aos viveram temporadas longas.
Saindo das confortáveis classes médias e das quatro estações meio européias da capital sulina, a autora viveu de perto o sertão e a selva, a seca severa e a extrema umidade. E agora, ao contar histórias, tudo isso entra em perspectiva: se um geólogo é um descritor que precisa ter grande habilidade para relatar, avaliar, projetar, estimar, se ele maneja bem os instrumentos da descrição técnica, quando se bota a olhar para as relações humanas do entorno com olhar compreensivo essas virtudes ganham um corpo, uma concretude, uma presença notáveis.
A Zara sabe isso tudo e aqui o demonstra. Com uma virtude suplementar que talvez seja invisível, mas que ali está, página por página: tendo muita história para contar e até lições para oferecer, a Zara preferiu a atitude mais gentil e mais sábia de evitar a pose professoral, em favor das histórias reais, de gente de carne e osso.
Um gosto de ler, um prazer para o cérebro e um alento para a alma, este livro da Zara.